UNIVERSO BEM ESCURO

Em mais este shiur do antigo Projeto Conexões, o Rabino Avraham Chachamovits continua as suas explorações da Torá e das teorias mais modernas da Física Quântica e Cosmologia para explicar a origem das entidades negativas chamadas de shêdim (“demônios”). Em uma continuação do shiur “Redenção Quântica“, esta grande aula de convergência da Torá e ciência certamente tem a força de mudar o paradigma de pensamentos sobre assuntos de extrema importância para a vida física e espiritual da pessoa. A difusão da Torá com grande profundidade e generosidade é a vida e visão do Rabino Avraham, e nestes momentos aqui se vê exatamente esta luz tão singular que está ajudando a apressar a vinda do único e verdadeiro Mashiach, em breve amém.

Gravado em 30 de Nissan 5770 (13/04/2010)

tzedakah

REENCARNAÇÃO

O conceito de reencarnação jamais foi popularizado em tempos antigos. Os cabalistas, mestres do entendimento da Sabedoria Divina, somente tratavam deste assunto entre eles mesmos, e alusões em diversos comentários da Torá indicam exatamente este desejo dos mestres em ocultá-lo. Entretanto, em nossa geração este tópico tornou-se algo de comum conhecimento no mundo. Obviamente, a chamada “popularização” provocou misturas indevidas deste assunto sagrado com o profano, gerando assim confusão e erros fundamentais sobre a visão Judaica dele. Quando a ignorância prevalece, temos freqüentemente pessoas sem conhecimento autêntico e correto que mal representam e corrompem o pensamento Judaico sobre reencarnação em particular e sobre a Cabalá em geral. E por tudo isso e no espírito de encorajar a fé e assim causar a Teshuvá (“retorno” espiritual uma vida digna), o Rabino Avraham Chachamovits compartilha agora com o público geral os seus conhecimentos singulares sobre este tópico tão profundo e esotérico. Neste shiur gravado em 7 de Nissan 5769 (01/04/2009), pela primeira vez na língua portuguesa, o assunto judaico de reencarnação é tratado com os pré-requisitos necessários para que possa ser entendido melhor de acordo com os santos rabinos de nossa herança. Certamente, os conceitos aqui apresentados são extraordinários, e levarão o ouvinte a um novo grau de experiência mística judaica legítima, fomentando o desejo em seus corações por uma ligação mais profunda com Hashem, amém.

tzedakah

RAMBAM – FUNDAMENTOS DA TORÁ – CAP. I LEIS 1-5

O grande filósofo judeu e médico conhecido como o Rambam (Rabino Moses ben Maimón ou Maimônides) dividiu a sua obra maior, o Mishnê Torá, em 14 livros, com cada livro dividido em capítulos e cada capítulo desmembrado em discussões de leis individuais. Esforçou-se para criar um código no qual o regulamento sobre um assunto específico pudesse ser prontamente localizado. Colecionando todas as legislações bíblicas, talmúdicas e pós-talmúdicas, e destacando as opiniões mais abalizadas, ele incluiu toda a gama da Lei Judaica – mesmo aquelas leis que, segundo a tradição, não serão novamente praticadas até a Era de Mashiach (tais como as referentes aos sacrifícios no Templo). Sua intenção, em resumo, foi fornecer um código de leis que, em suas palavras, permitiriam que “nenhum homem teria de recorrer a qualquer outro livro sobre qualquer assunto da Lei Judaica, mas que o compêndio conteria toda a Lei Oral”. Portanto, ele decidiu chamá-la Mishnê Torá (Segundo à Torá). E de fato, a partir de sua publicação, a reação à obra foi extraordinária. Estudada e consultada por judeus de todas as partes, a Mishnê Torá logo foi aclamada como a obra mais notável da erudição judaica desde o Talmud. Escrita em linguagem clara e cuidadosamente elaborada, tornou-se um modelo de composição sucinta e concentrada. Ela é única em seu escopo, sem par em sua composição, a obra tem se mantido como o alicerce para todas as codificações da Lei Judaica desde então.

E agora e pela primeira, o primeiro volume desta obra, Hilchót Yesodêi HaTorá (“Fundamentos da Torá”), é traduzido pelo Rabino Avraham Chachamovits. Seus comentários elucidativos nesta obra magnífica abrangem inclusive o seu aspecto místico, de acordo com a Cabalá. Isto é certamente algo inusitado, uma vez que o Rambam é na prática, o pilar do pensamento racional filosófico judaico e não um representante da “escola mística” do judaísmo. Entretanto, quando estudado com maior profundidade e sob a ótica mística, assim como o mestre da Cabalá, o Rabino Avraham Abuláfia fez no passado etc., aspectos extraordinários são revelados do pensamento singular do Rambam. Isto oferece até mesmo para o não-judeu o esclarecimento sem paralelos sobre os fundamentos da fé judaica, e assim, das leis vigentes no universo, muitas das quais se aplicam às Nações. E que toda esta experiência única traga um novo grau de entendimento sobre a Torá de D-us, e cada um aumente em seu desejo de se ligar a D-us de modo correto e sincero, ajudando apressar da vinda do único e verdadeiro Mashiach em breve amém.

tzedakah

REVELAÇÃO ANGELICAL

Um shiur profundo do Rabino Avraham sobre a Haftarah de Nassô (Juízes 13:2-25) e a história do anjo que se revela aos pais de Shimshom (“Sansão”).

PALAVRAS CHAVES: Anjos e seus levushim (“roupagens”), a expansão da consciência, a haftarah de Shofetim/Juízes capítulo 13:2-25, os Nomes de Hashem, o Nome Elokim e a natureza, a rigidez das leis naturais, o Tetragrama: o Nome YKVK (“Hashem”), os milagres e a realidade durante o Beit HaMikdash (“Templo Sagrado”), a diminuição da intervenção Divina revelada, o trabalho espiritual diante das dificuldades, Manoah e sua esposa estéril, a oração das mulheres estéreis. Isaías 54, o anjo se revela para a esposa de Manoah, considerações profundas sobre as características angelicais, a “frequencia” da mente e a natureza dos anjos, a carne tahor, o Nazir, a seriedade e importância dos juramentos e promessas, diferenças entre a santidade do Levi e do Nazir, interpretações sobre a revelação angelical, o erro de Manoah, o anjo não revela seu nome, as tarefas dos anjos, os anjos do Gan Éden, a modulação dos anjos, amuletos angelicais, a proibição sobre a Cabalá prática (ma’assít), Manoah e sua esposa testemunham a revelação do anjo, o nascimento de Shimshom da tribo de Dan.

tzedakah

SEGREDOS DA CRIAÇÃO 4

O Rabino Avraham Chachamovits inicia este shiur iluminando um profundo conceito da realidade, o que chamamos de fase. E ele explica: o que configura, começa, e termina a chamada “fase”. Através de inúmeras alusões de ordem física e espiritual este assunto é primeiro examinado. A aula continua expondo detalhadamente de acordo com a Torá as características da conhecida fase da Dór HaMabúl, a “Geração do Dilúvio” (de Nôach/Noé) que foi tão espiritualmente rebaixada. E uma pergunta é lançada: por que esta geração do dilúvio era mais fisicamente poderosa e vital do que as subsequentes? Qual o segredo da longevidade desta geração anterior ao dilúvio? A resposta para este mistério particular, baseado nas ciências naturais, mostra diferenças no globo terrestre que permitiram acesso a uma enorme fonte de energia durante esta geração. No entanto, esta mesma resposta gera aparentes dúvidas quando comparada a outros eventos também sancionados pela ciência e os relatos da Torá. Por fim, estes e outros mistérios da Terra, tal como a “Era Glacial”, são solucionados pela Torá, pois como escrito: “Perfeita é a palavra do Eterno e fidelidade marca tudo o que faz” (Salmo 33:4). Uma aula que ensina como as fases da criação são distintas e não necessariamente interdependentes umas das outras. De fato, vivemos hoje uma fase única da criação, marcada pela necessidade de todos se tornarem partícipes no inaugurar da nova fase do único e verdadeiro Mashiach, e que isso seja em nossos dias amém.

tzedakah

SEGREDOS DA CRIAÇÃO 3

Diferentes fases geológicas que o mundo vivenciou foram explicadas e previstas pela Torá através dos profetas, nos Midrashím, etc., muito antes mesmo da ciência entendê-las. Nesta aula, o Rabino Avraham Chachamovits trata da fase geológica que o mundo vivenciou posteriormente ao pecado no Éden – quando Adám e Cháva se conheceram biblicamente mais uma vez, e deram à luz ao um filho chamado Shet. De Shet, nasceu Enósh, através de quem, nossos Sábios revelam se iniciou a idolatria no mundo. A aula prossegue explicando a idolatria como um processo de degeneração e assim de distanciamento do verdadeiro serviço espiritual ao Um D-us. Devido a esta “inovação” tão negativa de Enósh, o Midrash afirma que D-us de fato puniu a sua geração de diferentes maneiras (e muito antes da geração de Noâch, e o conhecido mabúl – o dilúvio das águas). No entanto, os profetas aparentemente contrariam o Midrash sobre a destruição na época de Enósh, estabelecendo assim uma “tensão” que é impossível na Torá, pois a Sabedoria de D-us é perfeita e não existem contradições. A resolução vem então através da exposição dos mestres que explica a lógica e solução destas questões do passado através das ciências naturais, trazidas em mias esta aula de fé em Hashem e a Sua Torá.

tzedakah

SEGREDOS DA CRIAÇÃO 2

Algumas mentes menos iluminadas poderiem argumentar sobre a dificuldade na integração dos achados científicos e do estudo da Torá e que isso se deve ao fato de que a ciência é produto humano, portanto, sempre especulativa – constantemente evoluindo e provendo somente uma descrição aproximada da realidade. Ao contrário disso, a Torá é dada por Hashem, e assim eterna e a verdade absoluta. Aparentemente, a Torá e a ciência não podem ser “misturadas”. Mas de fato, é vital a integração das ciências com a Torá, pois somente deste modo a ciência é convertida em um instrumento de revelação da luz de D-us no mundo – e a “conversão” é o processo espiritual mais completo. Eis sua chance de elevação. Nesta aula, o Rabino Avraham Chachamovits continua a explorar com a convergência da Torá e da ciência. O foco agora é mostrar algumas das grandes alterações físico-espirituais que ocorreram desde os tempos mais remotos do mundo até hoje. Estas mudanças narradas pela Torá e explicadas na ciência contemporânea incluem as alterações na aparência da Terra, no clima, na irradiação e energia solares, na órbita dos planetas, na atmosfera e refração da luz, etc. A mudança de estrutura na natureza e realidade faz parte da vida neste mundo. A própria vida espiritual do homem também se alterou, pois anteriormente ele se encontrava mais próximo à sua origem; carregando assim qualidades espirituais e físicas superiores que hoje precisam ser resgatadas para que ele viva a completude de sua humanidade. E este “resgate” representa o retorno do homem através do seu realinhamento às leis da Torá. Somente assim ele voltará a exibir estas qualidades extraordinárias, forjando um mundo novo: a era do único e verdadeiro Mashiach, em breve amém.

tzedakah