FÉ & CIÊNCIA – Parte 1

Nesta mais nova série, o Rabino Avraham Chachamovits explora a Terra incognita (“terra desconhecida”) – perspectivas convergentes de Torá e ciência. Como um todo, a ciência representa o da’at tachtón (“conhecimento inferior”), pois seus descobrimentos e inovações são estritamente baseados nas observações empíricas. Torá/Cabalá representa o da’at eliyón (“conhecimento superior”), perspectivas elevadas sobre a realidade. Ainda que muitas vezes contradições aparentam existir entre estes dois níveis de entendimento, é importante buscar as resoluções destas diferenças. De fato, as novas descobertas científicas – mais refinadas – oferecem “modelos da realidade” agora mais adequados à visão da Torá. Esta busca pela convergência destes modelos de entendimento é uma luz fundamental para o desenvolver da humanidade, e um dos pilares da obra do Rabino Avraham. A perspectiva da Torá na ciência também ajuda seu entendimento, pois a Torá/Cabalá oferece um modelo conceitual que entende as várias descobertas macrocósmicas da ciência como um microcosmo do universo. Quando estudados como uma parábola de nossa percepção e psiques, estes modelos podem e devem ter um efeito educacional sobre nós, suplantando o posicionamento amoral da ciência (e as conclusões frequentemente imorais que ela alcança como resultado de sua amoralidade). Em um nível mais alto de entendimento, Torá/Cabalá e ciência são interdependentes, apesar de que são atualmente vivenciados como experiências distintas. Contudo, na medida em que a ciência amadurece suficientemente ela desejará ver também a conexão entre estas duas perspectivas. E este “casamento” será consagrado na Era Messiânica. É apenas uma questão de tempo quando a ciência descobrirá o que ela mais deseja: como todo o universo – macrocosmos e microcosmo – possui uma estrutura unificada, e a Torá a guiará a entender que esta estrutura singular é a assinatura de Hashem que “Preenche todo o mundo” (Isaías). A Torá e sua dimensão profunda, a Cabalá, é a chave para o reconhecimento desta assinatura.

(Música: Rabino Avraham Chachamovits, Suite para piano “Le Jardin Secret“, Prélude)

tzedakah

A CABALÁ E A CURA DAS DOENÇAS 4

PALAVRAS CHAVES: Métodos e práticas médicas para cura: homeopatia, alopatia, osteopatia e naturopatia, a homeopatia e a “lei das semelhanças”, o “adoçamento” é o retificar de algo “amargo”, a cura está na própria doença, a “cobertura/casca” (klipah) da fagulha Divina, a klipah é a doença, fazendo o que é certo com as intenções corretas, o aumento da manifestação da Providência Divina, alopatia: a lógica dos opostos, combate/contra ataque à doença, a doença é vista como sendo somente uma manifestação física, osteopatia: equilíbrio das energias do corpo, o “realinhamento” do corpo, naturopatia: todas as necessidades do corpo podem ser providas diretamente da natureza, a fé limitada, a cura do que não está retificado/doença se encontra na natureza, neutralização do mal, o risco do panteísmo: a crença pagã que tudo e cada coisa na natureza representa D-us, erros mentais associativos levam podem levar às conclusões idólatras, Enósh: o neto de Adam e o início da idolatria no mundo, a força da natureza é Hashem, a verdade cura removendo a mentira, Emêt: “verdade” é o selo de Hashem no mundo, a conexão do homem com a natureza, práticas médicas sob a direção “razão humana”, a homeopatia é o método de cura mais espiritual, a letra Yud do Nome de Hashem e a homeopatia, a letra Hêi do Nome de Hashem e a alopatia, a letra Vav do Nome de Hashem e a osteopatia, e a (última) letra Hêi do Nome de Hashem e a naturopatia, a inspiração Divina da homeopatia, considerações sobre a sefirah de Tiféret e a osteopatia, o médico ideal, considerações sobre o reconhecimento da origem Divina das práticas médicas, o enriquecimento da matriz das curas , Hashem é a origem de tudo

tzedakah

O MAU OLHO MAU

Mais uma vez, o inovador Projeto Conexões, vídeo-aulas ao vivo pela Internet através do Rabino Avraham Chachamovits oferece uma aula reveladora sobre as verdades espirituais. O tema agora é o Ayin Hará (“olho mau”). Como é explicado no shiur: “Ayin hará é algo de grande significado e importância para todas as pessoas… Ayin hará é a projeção em alguém ou algo de um pensamento ou emoção negativa e potencialmente destruidor. Este ‘espírito negativo’ é extremamente perigoso, pois não é algo que existe somente na psique da pessoa. De fato, é algo que opera como uma bactéria: contagiante, indo de uma fonte para outra”. E nestes dias de tribulações, se torna ainda mais vital que todos aprendam a se proteger deste mal que nunca se deflagrou tanto no mundo – um prenúncio para a rápida aproximação da Era Messiânica do único e verdadeiro Salvador, e que seja assim em breve, amém.

(Obs: Termina aqui a série de vídeos do Projeto Conexões. Equipe Beit Ari”zal).

Gravado em 10 de Kislev 5771 (07/12/2010)

tzedakah

TUBULAÇÕES

As bênçãos descem para o mundo e as criaturas. Entretanto, no caso dos seres humanos, este fluxo espiritual benevolente depende de seus comportamentos para vir plenamente ou não. Nesta aula o Rabino Avraham Chachamovits explica a metáfora das “tubulações espirituais” que precisam estar “limpas de manchas” para que haja um grande fluxo de bênçãos para todos. E também é explicado como as transgressões das leis da Torá afetam os níveis superiores e os inferiores da realidade, bem como a necessidade geral da retificação do mundo. Que esta aula tão elevada ajude a despertar os corações adormecidos para um ligação com D-us maior, apressando a vinda do verdadeiro Mashiach, em breve amém.

Gravado em 21 de Tishrei 5771 (28/09/2010)

tzedakah