CABALÁ TWITTER: 061

 

Dedicatória do Tweet:

“Para os empreendedores e empregadores brasileiros saírem dessa crise sob as bençãos e misericórdias de D’us”.

Por JOÃO PAULO MACHADO R. C.


“O homem é um ‘mundo pequeno’, um microcosmos. Se
ele se acha que é o mundo, ele é pequeno. Se ele se
acha pequeno, então é o mundo.”


NÃO É PERMITIDO FALAR LASHÓN HARÁ DE… (Parte 2)

A pessoa não pode falar lashón hará sobre um talmid chacham ou sobre uma pessoa que não é educada na Torá (Chafêts Chaím Vol I, 8:4).

  • Falar lashón hará sobre um talmid chacham (“estudioso/erudito da Torá“) é uma transgressão extremamente séria e pode causar dano espiritual adicional.

A pessoa não pode falar lashón hará sobre um adulto ou uma criança (Chafêts Chaím Vol I, 8:3).

  • Falar lashón hará sobre uma criança é proibido porque pode prejudica-la ou causar-lhe constrangimento.
Comentário do Rabino Avraham: Os juízos de Hashem são independentes dos pensamentos dos homens, assim como está escrito: “Os Meus pensamentos não são iguais aos vossos, nem Meus caminhos são os que trilhais – diz o Eterno. Assim como muito acima da terra estão os céus, Meus caminhos são mais elevados que os vossos, e Meus pensamentos muito mais profundos que os vossos” (Isaías 55:8). Deste modo, o fato de uma pessoa julgar que outra não é um talmid chacham (mesmo se devido à sua shitah, “filiação religiosa partidária judaica”), não significa que, em primeiro lugar, a pessoa sobre quem se falou lashón hará não seja verdadeiramente um talmid chacham de acordo com o julgamento do Céu. E em segundo lugar, que deste modo o falante da lashón hará ficará eximido do grande peso adicional de ter falado lashón hará sobre um talmid chacham.

tzedakah