VISÕES DE DANIEL – Parte 1

O livro de Daniel abrange uma boa parte da história Judaica e, de fato, da história do mundo. Começando antes da destruição do Primeiro Templo, ela cobre profeticamente os períodos Persa, Grego e Romano, continuando até a era messiânica e além – até o tempo da Ressurreição dos Mortos e o Mundo Vindouro.

Daniel tinha somente quinze anos quando foi capturado pelo rei Babilônico Nevuchadnésser (Nabúcodonosor em português). Da linhagem real de David, Daniel serviu como conselheiro para três reis Babilônicos e para outros três (possivelmente mais) reis Persas. Ele era conhecido como um intérprete de sonhos para quem mistério algum era difícil demais, e os próprios anjos o descreviam como “um homem amado”.

O livro de Daniel é uma fonte primária para o cálculo da data exata da Redenção Final. Entretanto, Daniel foi ordenado de modo explícito a obscurecer este assunto. Os comentaristas da Torá concordam que o sentido das passagens relevantes se tornarão claras para toda a humanidade no tempo em que as suas realizações se aproximarem.

Através desta série de shiurim (“aulas”) em vídeo, o Rabino Avraham Chachamovits traz insights sobre o livro de Daniel com a esperança de ajudar a revelar algo de seus significados ocultos e apressando assim a Redenção Final da era do único e verdadeiro Mashiach, em breve ainda em nossos dias, amém.

(Música: Rabino Avraham Chachamovits, Sinfonia No 1, “Yemót HaMashiach (Dias do Messias)“, Terceiro Movimento)

tzedakah

FÉ & CIÊNCIA – Parte 1

Nesta mais nova série, o Rabino Avraham Chachamovits explora a Terra incognita (“terra desconhecida”) – perspectivas convergentes de Torá e ciência. Como um todo, a ciência representa o da’at tachtón (“conhecimento inferior”), pois seus descobrimentos e inovações são estritamente baseados nas observações empíricas. Torá/Cabalá representa o da’at eliyón (“conhecimento superior”), perspectivas elevadas sobre a realidade. Ainda que muitas vezes contradições aparentam existir entre estes dois níveis de entendimento, é importante buscar as resoluções destas diferenças. De fato, as novas descobertas científicas – mais refinadas – oferecem “modelos da realidade” agora mais adequados à visão da Torá. Esta busca pela convergência destes modelos de entendimento é uma luz fundamental para o desenvolver da humanidade, e um dos pilares da obra do Rabino Avraham. A perspectiva da Torá na ciência também ajuda seu entendimento, pois a Torá/Cabalá oferece um modelo conceitual que entende as várias descobertas macrocósmicas da ciência como um microcosmo do universo. Quando estudados como uma parábola de nossa percepção e psiques, estes modelos podem e devem ter um efeito educacional sobre nós, suplantando o posicionamento amoral da ciência (e as conclusões frequentemente imorais que ela alcança como resultado de sua amoralidade). Em um nível mais alto de entendimento, Torá/Cabalá e ciência são interdependentes, apesar de que são atualmente vivenciados como experiências distintas. Contudo, na medida em que a ciência amadurece suficientemente ela desejará ver também a conexão entre estas duas perspectivas. E este “casamento” será consagrado na Era Messiânica. É apenas uma questão de tempo quando a ciência descobrirá o que ela mais deseja: como todo o universo – macrocosmos e microcosmo – possui uma estrutura unificada, e a Torá a guiará a entender que esta estrutura singular é a assinatura de Hashem que “Preenche todo o mundo” (Isaías). A Torá e sua dimensão profunda, a Cabalá, é a chave para o reconhecimento desta assinatura.

(Música: Rabino Avraham Chachamovits, Suite para piano “Le Jardin Secret“, Prélude)

tzedakah

O MAU OLHO MAU

Mais uma vez, o inovador Projeto Conexões, vídeo-aulas ao vivo pela Internet através do Rabino Avraham Chachamovits oferece uma aula reveladora sobre as verdades espirituais. O tema agora é o Ayin Hará (“olho mau”). Como é explicado no shiur: “Ayin hará é algo de grande significado e importância para todas as pessoas… Ayin hará é a projeção em alguém ou algo de um pensamento ou emoção negativa e potencialmente destruidor. Este ‘espírito negativo’ é extremamente perigoso, pois não é algo que existe somente na psique da pessoa. De fato, é algo que opera como uma bactéria: contagiante, indo de uma fonte para outra”. E nestes dias de tribulações, se torna ainda mais vital que todos aprendam a se proteger deste mal que nunca se deflagrou tanto no mundo – um prenúncio para a rápida aproximação da Era Messiânica do único e verdadeiro Salvador, e que seja assim em breve, amém.

(Obs: Termina aqui a série de vídeos do Projeto Conexões. Equipe Beit Ari”zal).

Gravado em 10 de Kislev 5771 (07/12/2010)

tzedakah

TUBULAÇÕES

As bênçãos descem para o mundo e as criaturas. Entretanto, no caso dos seres humanos, este fluxo espiritual benevolente depende de seus comportamentos para vir plenamente ou não. Nesta aula o Rabino Avraham Chachamovits explica a metáfora das “tubulações espirituais” que precisam estar “limpas de manchas” para que haja um grande fluxo de bênçãos para todos. E também é explicado como as transgressões das leis da Torá afetam os níveis superiores e os inferiores da realidade, bem como a necessidade geral da retificação do mundo. Que esta aula tão elevada ajude a despertar os corações adormecidos para um ligação com D-us maior, apressando a vinda do verdadeiro Mashiach, em breve amém.

Gravado em 21 de Tishrei 5771 (28/09/2010)

tzedakah