8 pensamentos sobre “REÊ: “APRENDENDO A APRENDER”

  1. Muito obrigado Rabino por nos trazer mais uma vez um áudio riquíssimo em conhecimento, o conteúdo deste site tem iluminado nosso conhecimento, entendimento e sabedoria. Em tempos de adultério e fermento, é importantíssimo termos fontes confiáveis. Meu pai adquiriu o livro “bondade para Avraham” um pouco antes dele sair das prateleiras. Espero um dia poder ter acesso ao restante da obra.
    Shalom!

  2. Shalom rabino Avraham, e estudantes deste manancial de sabedoria da Torá. Gostaria de, em algumas linha externar sobre esta aula retificadora.

    Conforme explicado pelo mestre nesta aula, onde o aluno deve se posicionar sempre com muita humildade para primeiro receber, sem acrescentar nada, após a etapa de aprendizagem concluída com êxito, só então e se D-us permitir o aluno poderá acrescentar também. Toda esta explicação me faz refletir sobre inúmeros casos onde é possível perceber esse “acrescentar” sem propriedades, então logo tudo precisa ser reiniciado para que a ação seja retificada e completada.

    Ao percorrer o caminho das sete Leis Noéticas, muito dos hábitos antigos foram excluídos para dar inicio a uma nova fase onde a disciplina e responsabilidade com tudo deve ser pautados também para favorecer o espiritual. Muitas são as circunstâncias que é preciso discernir entre o certo e o errado, e Hashem surpreende com tarefas a serem cumpridas que muitas vezes penso não ser capaz de superá-las, então ao direcionar todos os afazeres com pensamentos no Criador, aos poucos tudo vai ficando mais claro, ao compreender que em assuntos de Torá, o temor deve sobrepujar sempre, para que Hashem nunca permita uma transgressão como a de acrescentar ou retirar uma só virgula das escrituras sagradas que são de alguma maneira propagada através dos atributos essenciais do homem, pensamento, fala e ação e assim um dia ser permitido de acrescentar também. Se D-us quiser.

    Seu imensamente feliz pelas oportunidades de estudar obras tão impar nestes tempos.
    Obrigado por tudo rabino Avraham.

    Edson Bertoldo

  3. Shalom caro Rabino Avraham e amigos do Beit Arizal,

    Peço a licença do Rabino Avraham e dos estudantes desse site iluminado para comentar brevemente sobre o presente shiur:

    Recebo esse shiur como um grande presente do Rabino Avraham, penso que as lições aqui são fundamentais e especiais para nós não judeus. Em nossas vidas alimentamos muitas ideias e práticas contrárias á Torá e ao encontrar um Mestre como o Rabino Avraham o aluno honesto verá que tem muito o que desaprender e se esvaziar da sua antiga vida sem Torá e como toda criança que vem vazia ao mundo o aluno terá que receber com fé simples, vencendo a forte tentação do ego de adicionar antes do tempo. Através dos meus contatos com o Rabino Avraham graças á D-us fui percebendo muito dessas deficiências que afetaram minha vida e coisas que ainda precisam ser retificadas, que D-us permita.

    Rezo para que eu não atrapalhe o trabalho do meu Mestre que tanto deseja me ajudar na retificação do caráter, que eu aprenda a cada nível desta jornada a receber, aprender com perseverança para crescer em sabedoria e ver as possibilidades que estão a minha frente pela providência divina. Shalom e tudo de bom!

    Respeitosamente, Emerson

  4. Shalom Rabino Avraham. Peço permissão para um breve comentário sobre a presente aula.

    Em minha humilde compreensão, reflito o quanto se deve ser cuidadoso com relação ao que se pensa, se diz e faz, com os ensinamentos recebidos de Torá.

    Aprendi que é necessário receber com reverência, ouvir muito mais e dizer menos; pedir a misericórdia e a bondade de Hashem para que Ele conceda sabedoria no aprendizado santo e ter uma responsabilidade santa com os ensinamentos recebidos da Torá pelo seu Mestre, não acrescentando nem retirando nada, para que se possa realmente colher as bênçãos e se D-us quiser, avançar na trajetória de retificação. Todo cuidado é pouco com a má inclinação que, incita o ego a se inflar e assim fortalecer o outro lado, o que pode trazer uma maldição, que D-us não permita.

    Agradeço mais uma vez ao Sr. por mais um aprendizado santo e importante, que fez-me refletir sobre minha própria condição de aprendizado nessa trajetória de retificação, graças a D-us.

    Tudo de bom.

    Respeitosamente,
    Robson Cleber Garcia da Silva

  5. Shalom Mestre,

    Um grandioso estudo de Torá, apesar de ser um shiur curto ele é absolutamente contundente. Muitos de nós vieram de uma vida secular, aonde a arrogância e falta de retidão predominam. Ao iniciar os estudos de Torá tive que reaprender absolutamente tudo sobre minha vida espiritual, principalmente a não querer opinar sobre coisas as quais eu não teria o menor domínio de compreensão.
    Após muito esforço rompi algumas cascas que me mantinham em níveis rebaixados no meu caminho espiritual. Estou em busca de receber muito mais do que acrescentar ao se tratar de estudar Torá.
    Que Hashem continue a abençoar e iluminar o Rav com saúde e sustento.
    Tudo de bom
    Thiago.

  6. Então você descobre que está no deserto e precisa sair dele. Voce percebe o ardor do sol e o gosto inóspito da areia e você imagina que em algum lugar o deserto acaba e a vida começa de verdade, quando então o gosto de areia será saciado pela água viva.
    E começa-se a caminhar, sem saber ao certo para onde ou mesmo como.
    À sua volta, nada, absolutamente nada.
    Depois de um tempo, a gente acaba acreditando que viu alguma coisa. Uma imagem tremula emerge bem lá longe.
    Pura ilusão que se desvanece como fumaça. E depois daquela primeira ilusão, outras tantas. Sempre a mesma esperança, a mesma ânsia e sempre a mesma frustração.
    Nada, nada e nada.
    Tudo que se vê são ilusões geradas pelo Ego. Todo o deserto é o Ego e por mais que eu queira fugir dele, é ainda ele que encontro logo adiante, como se nada houvesse além dele.
    No fim, estou perdido. Não sei onde estou ou mesmo se caminhei. Sinto-me cansado pelo esforço, mas não sei se saí do lugar. Não sei onde estou ou para onde estou indo. Continuo andando, mas nem mesmo sei se caminho.

  7. Shalom Rabino Avraham e a todos que frequentam este site. Peço permissão para escrever um humilde comentário acerca da aula presente.

    Em minha limitação entendi que, o aluno de Torá, deve ser humilde ao receber os ensinamentos sagrados: aprendendo primeiro para depois compreender. Isso demanda que o nível de consciência divina do aluno já lhe permite controlar o seu ego, ouvindo mais e falando menos. Se concentrar em receber o aprendizado, procurando executar o que tem aprendido em ações para internalizar esse conhecimento e desse modo ter condições de avançar para o próximo degrau.

    O perigo está justamente em expor alguma opinião sem ainda ter maturado e desenvolvido o aprendizado com esforço e paciência com relação ao tempo, pois além de implicar em erro implica também a não expansão da consciência divina o que certamente traz prejuízo para o aluno, que D-us não permita.

    Agradeço a oportunidade dada pelo Rabino Avraham não só pelas aulas de Torá como também pelo ensino de como se deve aprender.

    Peço perdão por qualquer erro aqui cometido na escrita ou no comentário.

    Shalom e tudo de bom.
    Respeitosamente,
    Robson Cleber Garcia da Silva

AVISO: COMENTÁRIOS NÃO SERÃO RESPONDIDOS

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s