YITRÔ: “EDUCADORES CÓSMICOS”

Um vórt (“breves palavras de Torá”) sobre o Shemot 19:6, parashá Yitrô 5775.

Música: Michael Levy tocando um Kinór (“lira do Rei David“).

tzedakah

Um pensamento sobre “YITRÔ: “EDUCADORES CÓSMICOS”

  1. Shalom Rabino Avraham,

    Nesta parashá Yitrô o conceito de povo santo é enfatizado, D-us diz que seremos um reino de sacerdotes, um povo santo. Como Rashi explica, sacerdotes significam também mestres, mestres das leis de D-us, pois a função do povo judeu após a entrega da Torá é de natureza sacerdotal, entendendo eu como que servindo de “ponte” entre D-us e as nações e “carruagem” no sentido de expressar em nível físico a vontade do Criador.

    Percebo como sempre existiu nas nações a necessidade de se apegar à um intermediário para se ligar à D-us, e paradoxalmente o próprio povo que seria esse emissário foi o mais perseguido ao longo da história por essas mesmas nações. Como já explicado, o conhecimento das nações a respeito do espiritual é muito confuso, e se para os judeus que têm a Torá se ligar à Verdade já é tão difícil quanto mais para as nações, a possibilidade de cair em erro é grande.

    Infelizmente devido a situação do povo judeu ao longo dos tempos, sofrendo perseguições e muitos tornando-se ignorantes a respeito da Torá, ocasionou que esta função de ser uma luz para as nações fosse enfraquecida, pois os próprios judeus precisam agora serem iluminados também. Por outro lado a Torá sendo o Bem supremo de Hashem materializado neste mundo físico, e o objetivo do Criador de todos os povos se fazer reconhecido perante toda a criação, seria de se esperar que esse bem fosse compartilhado. Portanto a função do povo judeu é justamente ajudar as nações no relacionamento com o divino, e como ensinado, está realidade se concretizará por completo na era messiânica, quando o mal será expurgado da Terra e toda a dificuldade de entendimento de todos os povos.

    Como ensinado na aula um mestre, e creio eu um aluno também, deve ter em equilíbrio os atributos de chéssed e guevurá, e isto é tão bem realizado no rabino Avraham, que sabe como dosar os dois atributos sendo mais duro quando precisa e mais suave quando necessário. Já tantas vezes ensinado nas obras do rabino Avraham sobre o processo do apreender da realidade pelos atributos intelectuais da alma, a saber, sabedoria conhecimento e entendimento, o processo de insight está ligado a expansão/chesséd/lado direito. Já a analise racional ligado está a guevurá/constrição, para que as idéias em potencial sejam extraídas e se tornem mais sólidas por assim dizer. Quando esse conhecimento interfere emocionalmente, significando o ideal/harmonia/entendimento a pessoa realmente adquiriu um conhecimento vivo e se transformou, tornando-se assim um mestre, pelo menos neste tópico em particular, podendo e devendo ensinar os outros, pois como dito na aula, quem aprende e não repassa perderá seu entendimento, já que a origem de todo entendimento é a humildade em saber que tudo vem de D-us e portando é um presente que deve ser agradecido.

    Desejo saúde e felicidades ao senhor e a família.

    Shabat Shalom, Moshe

AVISO: COMENTÁRIOS NÃO SERÃO RESPONDIDOS

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s