VAYIGASH

PALAVRAS CHAVES: O profeta Eliyahu (“Elias”), ele “ascendeu” e não morreu como os outros homens, mayin nukvín (“águas femininas”) e mayin durchin (“águas masculinas”), causa e efeito, livre arbítrio, o tempo das respostas Divinas, 12 Tribos em Israel, fluxos de Divindade e as bênçãos de crescimento, recompensa por um ato espiritual – uma mitsvá – não “cabe” no universo, Ór Makif (“Luz exterior”) e os paradoxos, considerações profundas sobre os nossos esforços verso os resultados, D-us favorece o mundo com uma posição de Chésed (“Bondade”), “assimetria espiritual”, a impossibilidade de um mundo espiritualmente simétrico, ordem e caos, “Teoria das Cordas”, Bósons, “Supersimetria”, a natureza “imperfeita/assimétrica” do universo finito, as doenças são assimétricas, considerações profundas sobre a natureza das doenças, o patriarca Ya’acov/Jacob rezou para que existissem as doenças e não se morresse repentinamente, as “exceções” de Enósh e do profeta Eliyahu, as causas do sofrimento, o esforço na Torá, a “queda das ilusões”, Yossêf se manteve justo mesmo com tantos testes que ele passou, o mês de Tevêt.

tzedakah

3 pensamentos sobre “VAYIGASH

  1. Pela Graças de D-us

    Shalom Rav Avraham e amigos,

    Peço licença para expressar um pouco meu comentário da parashá Vayigash.

    Na leitura encontrado no Zohar {1:209a }, parashá Vayigash, Rav Avraham comenta vários aspectos importantes, dentre eles, o conceito de causa e efeito. Rav explica que toda vez que se executa uma ação no mundo, seja ela positiva ou negativa, uma resposta Divina dessa ação é correspondida no mundo. Toda ação existe uma consequência, e a raiz deste fenômeno se encontra na lei de causa e efeito que influencia o mundo todo, e cada pessoa em particular. Ao agirmos positivamente no mundo, o que exige “esforço”, conseguimos elevar este mundo através do fluxo de bençãos que desce até nós.

    É explicado que o fato de as bençãos não ocorrer de imediato, não significa que elas não ocorreram, pelo contrario isso faz parte do Plano Divino para que permita que exerçamos o nosso livre arbítrio, caso contrario, as coisas se tornariam muito simples, sem o perigo de cair na ilusão do mundo. O homem precisa através do livre arbítrio e desejo buscar a perfeição, porque se não fosse dessa forma, se o homem fosse obrigado escolher a perfeição, então, na realidade ele seria seu próprio dono, e o propósito de D-us não seria cumprido em sua vida. Portanto, os caminhos escolhidos por D-us no governo do nosso mundo são propositais e manifestam-se apenas no fim do seu desenvolvimento, e isso é algo que vai além do nosso entendimento.

    Agora o interessante é que antes do fim desse desenvolvimento, as elevações (e as respostas espirituais), no entanto, são estimuladas de outras maneiras, dentre elas, o Rav cita uma que atraiu minha atenção: “em especial, através do cumprimento das mitzvot” (…). Esse ato espiritual é algo muito complexo e místico, como assim descreve o Rav, porém o cumprimento das Leis de D-us é algo grandioso que traz benefícios em nosso mundo e no mundo vindouro. O propósito dessas mitzvot consiste em fazer como que voltemos para D-us. Por esse motivo as forças negativas tentam nos bloquear, colocando empecilhos para que não cumpramos o que é determinado por D-us, pois elas conhecem essa tecnologia grandiosa, e sabe que quando homem as cumpre mais iluminado ele fica.

    Rav explica que todas as possibilidades de elevação do esforço do homem representa algo de muito profundo e complexo, algo que a mente humana não tem o poder de introjetar com clareza, portanto tais conceitos mantêm-se próximos, mas externos à mente, o que é definido como Makifim. Esse conceito me faz lembrar de uma brincadeira de infância que participava muito chamada de “esconde e esconde”. Quando começamos a buscar a D-us, isso ocorre, Ele brinca de “esconde e esconde”. Ele se esconde, porém ao mesmo tempo, se revela, por assim dizer. E isso de fato é algo muito complexo, eu me encontro constantemente nessa situação, quando parece que consegui introjetar com clareza aquela informação que para mim parecia já conhecer, rapidamente ela se vai, e isso cria um sentimento de perplexidade em mim, porque acabo novamente tentando buscar essa ideia, porém ela não está lá mais, fica oculta, porém em outros momentos ela se manifesta novamente, é algo muito curioso.

    O que entendo diante dessa situação vivenciada é que ao sentir essa ocultação de D-us serve para que eu veja a deficiência presente em mim, e apartir daí, ter o desejo de se ligar mais com Ele. Esse desejo exige muito esforço para sobrepujar os limites presente em nós. É importante entendermos que D-us só se revela conforme o grau de nossos esforços. Muitas vezes podemos até imaginar que cada esforço é insignificante, mas não é, ele certamente produz uma resposta positiva dos céus.

    Como assim é trazido, D-us favorece (o mundo com ) uma posição de Chesed (Benevolência) sobre a Guevurá (Severidade) da verdade, a qual é uma simetria ideal; assim permitindo a imperfeição ( a assimetria da Criação) de existir, pois todas as coisas finitas são perfeitas. Esse conceito é muito profundo, diante da assimetria que existe, D-us sempre tende para o lado da Benevolência, que é infinita.

    O conceito de simetria e assimetria me permitiu entender que D-us organizou e determinou a criação de conceitos tanto de perfeição quanto de deficiência na Criação, e isso reflete em nós, com acesso igual a ambas as qualidades. Veja, D-us é perfeito, toda falha existente é a ausência do Seu Bem, e a ocultação de Sua Presença. Toda a criatura de D-us estará sempre equilibrada entre o que é perfeito e deficiente, o que é resultado da Luz de D-us ou ocultação. Esse conceito pode se comparado também entre a nossa alma e corpo, sendo que um é perfeito, no que se refere a sua essência, porém o corpo é deficiente, e a nossa busca constante é aprender a equilibrar esses dois aspetos que acredito ser uma condição para uma aproximidade perfeita com D-us. Conclui-se que todos os elementos da perfeição foram criados para que o homem, através desses elementos simétricos e assimétricos, consiga aperfeiçoar as faculdades intelectuais e seus traços de caráter. Por outro lado, as questões materiais e os traços ruins de seu caráter são elementos de deficiência entre os quais o homem é colocado para atingir o grau de perfeição.

    Resumidamente, todos esses conceitos expressos na parashá traz a ideia que somente através do “esforço” do homem aqui neste mundo é possível conquistar uma vida de sucessos e da promessa de uma longa e boa vida no mundo vindouro com explica o Rav Avraham no final da parashá. O grau de iluminação dependerá do nosso “esforço”, por esse motivo precisamos diligentemente buscar uma maturidade espiritual para que assim sejamos capaz de sermos completos, se D-us quiser.

    Rav Avraham obrigada pela oportunidade, não completei totalmente o meu raciocínio das ideias como gostaria de ter colocado aqui por várias situações, mas espero em algum grau ter conseguido expressar algum entendimento. Peço desculpa por qualquer erro de interpretação. D-us abençoe.

    Tudo de bom

    Raquel

  2. Shalom Rabino Avraham boa tarde amigos,

    Com permissão do mestre e amigos tento expressar a Parashá Vayigash 5770, um pequeno entendimento de nossos atos neste mundo que faz parte de um Todo.

    “No esforço do homem aqui em baixo, obrigatoriamente trazem um efeito correspondente e reciproco em cima”

    Recebemos ensinamentos sobre os atos dos homens e suas consequências para com a humanidade. Entendo que cada indivíduo possui um propósito no plano Divino, e que tudo está relacionado a uma vida plena sob as leis de D-us, uma benção do Criador (Bendito Seja), pois através do agir de acordo com as leis Divinas tudo pode ser adoçado causando então ‘melhorias’ neste plano, possibilidades de retificação que despertam o espiritual para favorecer nosso crescimento promovendo se D-us quiser o entendimento e censo perceptivo tão necessários para o reconhecer e discernir entre o bem e o mal, algo muito difícil para nós que somos tão limitados, mas que nos permite assim formar um ciclo que deve ser constante de baixo para cima e de cima para baixo (interação explicada sob um ponto de vista muito profundo na aula sobre a letra Vav), assim entendo e vivencio, mesmo que minimamente, pois realmente precisamos nos esforçar muito para não estagnar, e nosso meio não favorece esta continuidade, mas mesmo assim aqui estamos, e agora com a força adicional que a reunião nos proporcionou e impulsionou a continuar seguindo em frente sempre, se D-us quiser.

    O mestre nos fala com toda a atenção sobre as dificuldades que enfrentamos quando tentamos buscar um caminho de amor e temor a Hashem, as dores que sentimos quando não conseguimos entender as mensagens do mestre são intensas e duradouras, os pensamentos contrários a uma vida reta perecem ser facilitados e indolores, bastando apenas decidir não ter contato e a superficialidade toma conta, e com maiores problemas que D-us não permita. Tenho visto isso acontecer com algumas pessoas que conheço, e que ao não terem êxito em suas empreitadas culpam o próximo ou quem as sugeriu ou auxiliou em busca de algo melhor. Venho aprendendo Graças a D-us, e tentando reconhecer em mim pontos que permanecem na escuridão, e os identifico no contato com o mestre e amigos, quando deixo questões sem soluções ou sem a devida importância. Reconheço que isto ocorre devido a inferioridade, falhas e pecados cometidos, pois como disse o mestre, “não existe um dia se quer neste mundo que possa erguer-se corretamente perante o Mestre como deveria”. Mas graças a D-us portemos aqui a oportunidade de identificar estes erros juntamente com a possibilidade de retificar.

    “… desta maneira, D-us temperou com empatia e consideração as profundas limitações de Suas posses criadas (de nós), pois a face de um rei brilha, isso porque Ele é perfeito e combina benevolência com justiça e isso faz seu julgamento brilhar…”

    Então é inquestionável que nada mais temos neste mundo além de oportunidades e generosidade na misericórdia do Criador (Bendito Seja), é tudo que temos, mesmo não merecendo tanto. E mais, segue o mestre revelando o grande segredo deste ingrediente de brilho, que Hashem deseja que o homem revele no mundo, que são nossos pedidos, nossas orações com coração contrito em clemência ao Criador: “… em Tua misericórdia eu confio, meu coração se regozijará em Tua salvação, entoarei então cânticos ao Eterno que foi benevolente comigo”. Esta sendo meu reconhecimento diário e de todas as manhãs ao Criador. E neste dia ainda mais, pois rolam lágrimas ouvir estas palavras sendo pronunciadas pelo mestre, e ao mesmo tempo lembrar e presenciar o momento atual de união em que estamos vivenciando, um grande milagre
    .
    “Toda criação é essencialmente assimétrica, e algum aspecto de simetria como nas qualidades das coisas, dos números, no balanço da criação, etc… é apenas uma fase mais elevada da assimetria, assim como na alteração de sua forma… existe uma ordem que provém do caos e ela é mais elevada em termos da sua estrutura do que a ordem que existia antes da fase do caos…”

    Reflito nas diferentes tentativas de criação e preenchimento deste ambiente. O mestre sempre paciente, muitos passando por aqui, alguns precoces, outros tardios, mas os que prevaleceram também estão constantemente sob as investidas do mal. Eu mesmo sempre sujeito, comento que já pela manhã sou pego de surpresa ao ver o próprio irmão saindo com uma estátua de bode por debaixo do braço para ir trabalhar. Organização, sucesso financeiro, e outras regalias que o faz acreditar que está vivo, ele tem. Mas como diz o mestre, talvez no espiritual (que é a essência de tudo) não se esteja tão vivo assim. É o tal avodá zará (“serviço estranho”) que o mestre comenta em outras aulas. Emfim o caos está por toda parte, e Hashem o usa para nos ensinar. Entendo que nos restringindo e não nos iludindo com os tantos supostos bens que o mundo oferece, aprendemos a agir sabiamente, tomando proveito dele, e assim revelando o que há de bom nele.

    “Na física quântica uma das “previsões da teoria das cordas é que em escalas de alta energia veríamos evidências de uma simetria que estabelece a razão em que cada partícula que transmite uma força (bóson) uma partícula parceira faria a matéria e vice versa, essa simetria entre forças e matéria e chamada de supersimetria, a conjectura aqui é que assim como estruturas provenientes do caos tem um grau maior de ordem que estruturas prévias ao estado caótico a simetria procedente da assimetria ou de suas distorções podem alcançar causar um grau de simetria absoluta ou supersimetria, não alcançado de outra forma…”

    Espantosa é esta revelação do mestre, que compara assimetria e simetria da forma mais íntima possível, a interação entre corpo e alma, nossa limitação no finito espaço tempo que temos, sendo por si só a doença que herdamos, geração pós geração até que haja um equilíbrio global de interação (proveniente do caos que atualmente estamos), possibilitando assim uma nova ordem de existência/simetria absoluta que só poderá ser alcançada através do atual meio em que vivemos, a vontade de Hashem de se manifestar nos níveis mais inferiores da criação. E comento que em relação a nós, há algum grau de significância deste contexto no mundo. Após tantas investidas do mestre no caos em que vivemos, em extrema paciência, deste pequeno ponto de partida (os dez membros efetivos e já conhecidos pelo mestre antes mesmo do encontro), manifestamos (surge então) uma nova organização onde cada membro guerreia contra o ego, em prol de humildade, em se espelhar como sendo um nada, como uma minúscula partícula-força Divina para assim ser parte desta interação que cria e recria o mundo, e possivelmente contribuir e alcançar uma nova ordem provinda do caos de onde viemos, mas que revele o tão esperado grau de perfeição, que como disse o mestre em outro parágrafo: “… as ações e intenções da criatura são julgadas com perfeição. Isso significa que dentro do homem existe a capacidade de atuar no grau da perfeição”, rodapé 522. Livro “A Bondade para Avraham”.

    E tenho esperanças de que todas as forças contrárias, justamente por sermos poucos, e prezarmos modéstia, humildade e discrição, assim também nosso meio há de se transformar, o mestre trouxe inclusive argumentos científicos para esta verdade absoluta. Em fim tudo de acordo como o mestre iniciou a aula: “No esforço do homem aqui em baixo, obrigatoriamente trazem um efeito correspondente e reciproco em cima”

    Obrigado aos amigos por estarem presentes preenchendo este ambiente Santo que o mestre nos proporciona.

    Obrigado Rabino Avraham ao mestre pela generosidade e paciência para conosco
    .
    Que sejamos todos fortalecidos.
    Edson.

  3. Shalom Rabino Avraham,

    Venho humildemente trazer um comentário sobre esta maravilhosa e difícil aula, que tanto precisa ser refletida para que se possa compreendê-la. Uma das questões mais difíceis para o ser humano e o baal teshuvá em particular é lidar com a aparente incoerência entre o ato positivo ou não e a resposta resultante de D-us, pois vivemos em um mundo onde “coisas ruins acontecem à pessoas boas” e o contrário também é verdadeiro.

    Como ensinado pelo senhor tudo o que acontece com o homem respeita a lei espiritual de medida por medida, e acontecem muitas coisas ruins no mundo. Porém sabemos também, como ensinado nesta aula, D-us é mais misericordioso do que severo senão o mundo não poderia existir. Entendi que vivemos em uma realidade rebaixada no sentido de estarmos em um máximo afastamento de D-us, com uma consciência restrita em um mundo restrito pelo espaço-tempo e com a luz de D-us maximamente filtrada de modo a podermos existir, pois estando na presença direta de D-us nada pode se manter “autônomo”.

    Como o senhor explica nesta aula, conforme minha compreensão, é justamente o distanciamento entre Criador e criatura que nos possibilita agir corretamente de acordo coma vontade do Criador por ser o certo e não coagido pela Sua presença, mas por outro lado existe a possibilidade de se fazer o mal pois o mal é a própria ocultação da luz divina e consequência direta desta ocultação também. Sendo uma realidade assim “perfeitamente imperfeita” a forma como as coisas acontecem não são nada intuitivas, mas na Torá já é ensinado que “Meus pensamentos não são seus pensamentos” querendo dizer que o caminho de D-us não é compreensível pelo homem racionalmente e que a forma de D-us trazer equilíbrio ao mundo é muito mais sutil e sofisticada do que a simples simetria.

    Como o senhor traz na aula, a ciência moderna hoje em dia trabalha com o conceito de ordem dentro do caos, e muitas coisas na superfície caóticas quando analisadas com a profundidade requerida revelam uma ordem subjacente e mais bela ainda do que uma ordem trivial. Muito é enfatizado na obra do senhor a questão de que muitas das severidades que ocorrem no mundo são devidos aos comportamentos inapropriados do homem causando desequilíbrio no mundo, a forma que D-us corrige esta situação é justamente através destas severidades, mas como o lado generoso de D-us é maior ele permite sempre o arrependimento e mantêm vários que vivem uma vida de pecado vivos para que se arrependam e justos as vezes em uma situação não tão boa por contas que só Ele sabe.

    Como já ensinado pelo senhor em outras aulas, a luz de D-us estar oculta pode ser compreendida como se ela aqui chegasse normal, afinal D-us está em tudo, porém a sensação para nós é que ela está quase ausente, sendo portando mais uma questão de revelá-la doq ue de D-us aumentá-la. Então muitas vezes o que para muitos seria uma situação de sofrimento ou não mostra-se ser o oposto no referencial de quem passa pela situação, como nas famosas situações vividas pelo rabino Zushia de Anipoli.

    Estas questões são de difícil senão as vezes impossível compreensão aqui nesse mundo, pois a lógica humana limitada não é capaz de lidar com paradoxos e problemas que surgem ao tentarmos entender questões fundamentais a respeito da realidade e portanto de D-us também. Podemos ter uma intuição a respeito mas não conseguimos atingir e envolver a ideia como explicado na aula o conceito de Ór Makif.

    Desejo saúde e felicidades ao senhor, e coisas boas de forma revelada.

    Shabat Shalom, Moshe

AVISO: COMENTÁRIOS NÃO SERÃO RESPONDIDOS

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s