4 pensamentos sobre “ZIVUGUIM: CABALÁ E RELACIONAMENTOS 5

  1. Shalom mestre,

    Mais uma vez tudo fica mais claro pra mim porque as pessoas são afetadas com tanto sofrimento no inicio de suas relações conjugais, eu fui um que por não ter a Torá/Mestre, busquei minha alma gêmea de forma que hoje com estes ensinamentos percebo o quanto meu ego não retificado interferiu em tudo de forma devastadora. Graças a D-us sobrevivemos e partimos para novas etapas em nosso relacionamento que hoje perdura por dezoito anos e Hashem nos confia seis almas/filhos.

    Reflito aqui sobre os ensinamentos que falam sobre quando a alma humana ainda é uma fagulha Divina nos planos celestiais antes de vir a este plano ela é completa, ou seja as duas partes homem e mulher são um apenas. Então quando Hashem decide que esta alma deve voltar a este plano para retificar aspectos necessários para permanência dela no gan Edem, esta alma se divide em dois, ambos começam novo desafio aqui neste plano, e a primeira parte é justamente este reencontrar, pois o desejo e reconhecimento é intrínseco em nosso ser, logo vem a possibilidade de tornarem-se um com a concepção dos filhos, que tomaram seus destinos cíclicos de desenvolvimento da humanidade e seus próprios desafios. O próximo passo para o casal é justamente se prepararem para a grande jornada que farão até novamente serem resgatado pelo Criador que os trará para junto dEle onde se tornaram novamente uma única alma.

    Aguardo com desejo forte para continuar na próxima semana, juntamente como os amigos adentrar nos três pontos que o mestre irá aferir nas próximas aulas.

    Obrigado por tudo Mestre e amigos, tudo de bom a todos!
    Edson Bertoldo

  2. Shalom caro Rabino Avraham e amigos do Beit Arizal,

    Peço á licença para comentar este shiur desta grande série sobre relacionamentos:

    É maravilhoso perceber como a providência divina pode guiar as almas gêmeas para se unirem no plano físico para que ambos possam trabalhar em níveis progressivos em busca da unicidade perfeita que existia no plano celestial, e assim compreendo que essa é a razão verdadeira para o homem buscar sua alma gêmea. Entendo que a relação conjugal pode ensinar muito sobre a relação do homem com D-us, pois em cada nível maior anula-se mais o ego em prol do amor gratuito que vai diminuindo os espaços mentais/diferenças que separam o casal.

    O Mestre nos mostra que no estágio da unicidade (o que é para poucos segundo é explicado no shiur) o casal pode até desenvolver um inconsciente coletivo, onde ambos já se conhecem tão intimamente e sabem o que o outro vai fazer em cada situação, algo que transcende qualquer explicação racional e entendo que isso é uma lição de união que pode inspirar uma comunidade de Torá a buscar o bem estar coletivo pelo mérito dos Céus,trazendo mais da luz de D-us e apressando a redenção, que Ele permita. Agradeço ao Mestre por esse shiur tão iluminado, Shalom!

    Respeitosamente,
    Emerson

  3. Shalom Rabino e amigos a comunidade.

    Rabino, por favor permita-me trazer estes comentários desta aula iluminada.

    O Rabino nos ensina que o objetivo do relacionamento é expressar nesta existência a unicidade que havia com a raiz de alma antes desta existência. E nos mostra que esta unicidade somente é alcançada num processo que passa pela união em uma só carne e se aprofunda até atingir a unicidade.

    O mestre nos fala de três estágios: a união no espaço, no tempo e a unicidade total . A união no espaço significa que os dois se fazem um, no sentido em que a minha estrutura psíquica absorve a do outro, se transforma para comportar também o outro, ao ponto de que não se pode falar em minha e sua, mas numa única estrutura em que os dois participam compartilhando das mesmas necessidades, pensamentos e emoções.

    A união no tempo se expressa na medida em que, unidos nessa mesma estrutura de subjetivação, passam a coexistir no fluxo do tempo, vivendo como unidade os mesmos eventos de ciclos de vida. É a vivência mesmo da unidade no tempo.

    Por fim, a unicidade total é onde a unidade que existia de raiz de alma se manifesta no plano de existência, porque os indivíduos que compõem o casal perdem sua individualidade passam a repousar numa unidade inconsciente onde um já não pode existir sem o outro.

    Shalom

  4. Shalom Rabino Avraham e membros da comunidade, eu peço permissão para postar um breve comentário sobre essa aula extraordinária.

    Graças à D’us o Rabino Avraham nos ensina algo extraordinário nesse Shiur! A respeito do (re) encontro com a alma gêmea o objetivo é (re) alcançar com ela o estágio de união plena: tornar-se um. Eesse processo envolve três etapas as quais abordadas nas aulas desse curso, mas de modo geral o grande desafio consiste na superação das diferenças de propósitos e agendas no mundo, nas diferenças de espaço mental e por fim na união completa que consiste no par formar uma única entidade – algo extremamente raro e precioso -. Ainda segundo o Rabino isso só pode ser alcançado se o egocentrismo for constantemente subjugado.

    Desse modo o Rabino nos traz algo muitíssimo especial quando afirma: “Olhando sob o ponto de vista bíblico, e sem entrar em qualquer consideração mundana, social, étnica, etc, idealmente as pessoas só deveriam se conhecer, sob o ponto de vista bíblico, uma vez que estivessem casados, abençoada a relação”. É muito comum no mundo secular pessoas se sentirem desconfortáveis e desconfiadas com essa postura reta – guardar-se única e exclusivamente para o casamento-, mas segundo o que nos é ensinado esse receio é improcedente! Pois quando Hashem julga o encontro do Zivugue de uma pessoa, então isso significa que os pares estão em um bom caminho, um caminho de retificações; eles são totalmente equilibrados e prontos para essa união ideal que só tende a se aperfeiçoar quando D’us quiser.

    Mais ainda, isso implica no fato de que todas as outras uniões e relacionamentos emocionais entre homens e mulheres, com todas as outras pessoas do mundo são inapropriadas, tanto por não serem com a pessoa de mesma raiz de alma, tanto pela união não estar dentro dos limites das Leis que regulam todas as uniões conforme nos ensina o Rabino: a única possibilidade correta espiritualmente é a união com a alma gêmea de acordo com as Leis da Torá que estabelecem o respeito às leis do país: o casamento civil. Então, todos os outros relacionamentos são despropositados, pois não cultivam o retorno à raiz de alma; são superficiais e por isso também racionalmente explicável por condições mundanas, agora o relacionamento com a alma gêmea transcende a explicação racional, portanto é algo intimo no sentido mais profundo do termo; algo para ser vívido em silêncio.

    Sempre grato pela oportunidade.

    Tudo de Bom.

    Carlos Bengio.

AVISO: COMENTÁRIOS NÃO SERÃO RESPONDIDOS

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s