ZIVUGUIM: CABALÁ E RELACIONAMENTOS 1

De gravações de quase 10 anos atrás recentemente recuperadas, este curso extraordinário sobre a Cabalá dos relacionamentos tem como intenção não somente tratar de assuntos místicos e profundos sobre casais, mas também ilumina o caminho para os solteiros. De fato, aqui se encontra através das explicações brilhantes do Rabino Avraham Chachamovits, verdadeiras joias do entendimento profundo da Torá sobre o relacionamento entre os sexos. Este curso é um guia fundamental do entendimento sobre a dimensão interior da comunicação verbal, das necessidades emocionais e das relações físicas. Uma obra que certamente ajudará no crescimento espiritual e alegria para todos que a estudarem.

tzedakah

4 pensamentos sobre “ZIVUGUIM: CABALÁ E RELACIONAMENTOS 1

  1. Shalom Rabino Avraham, amigos e frequentadores deste manancial de Torá. Peço permissão para dissertar sobre a impressão que me ocorreu ao estudar esta aula juntamente com o grupo de alunos da comunidade Retidão Noética – Renong.

    Graças a D-us por mais esta oportunidade singular de estudar obras de Torá e ainda que como noético refletir em algum nível a parte mística Cabalá trazidas por nosso estimado Mestre. Entendo que esta série de aulas é para todo aquele que deseja servir a Hashem, um grande manual de iluminação e retificação do mundo através da união, trazendo frutos e entendimentos santificados para este mundo.

    O Mestre nos ensina sobre a intenção que um homem precisa ter ao buscar sua metade/alma gêmea. As pessoas que seguem diligentemente com as Leis, compreendem que no mundo secular sem Torá, a busca é apenas para se satisfazer, e isso inclui belas aparências, e tudo mais que venha preencher seus prazeres físicos apenas, revelando assim seu próprio reflexo egocêntrico.

    Seguindo os caminhos da Torá estes anseios egocêntricos sofrem retificação e são substituído por amor verdadeiro e temor às transgressões das Leis que regem a humanidade, desta forma tudo é meticulosamente planejado para que seja oferecido o melhor para a companheira/auxiliadora, pois é ela quem recebe o que há de mais puro do seu parceiro, então ela trabalha isso e transforma em frutos que farão parte deste envolvimento santo e que certamente também irão gerar frutos que auxiliam na propagação da Luz de D-us no mundo, e assim apressando a vinda do Único e verdadeiro Mashiach.

    O mestre ensina também que quando um relacionamento não prospera e tende a ser finalizado para o bem de ambos, tudo é a mais pura providencia Divina para que ambos possam então galgar novos níveis de compreensão e retificação de caráter e assim estejam aptos a enfrentar mais um teste na busca incansável pela metade que o completará como alma, então juntos tudo deve ser realizado com o zelo necessário para que não sejam cometidos os mesmos erros do passado, e assim tudo perdurará se D-us quiser.

    Certamente esta serie de quinze aulas traz miríades de entendimentos que busco vivenciá-los em minha vida familiar, em comunidade e também em meio às pessoas que me cercam.

    Muito obrigado estimado Rabino Avraham, D-us abençoes o senhor por tudo sempre.

    Edson Bertoldo.

  2. Shalom caro Rabino Avraham e amigos do Beit Arizal,

    Peço a licença de todos para comentar o presente shiur:

    Entendo que é fundamental que eu subjugue minha yetser hará com a ajuda de D-us para escapar das ilusões do ego que só busca nas aparências físicas um desejo não retificado de relacionamento, algo tão valorizado no mundo secular, por isso o mundo é tão cheio de dor, como o Mestre ensina em suas obras, muitas almas baixas vem ao mundo como fruto desses relacionamentos dificultando a difusão da consciência sobre o Divino no mundo, que D-us nos livre.

    Nesse processo o homem poderá aprender a escapar dos relacionamentos nocivos à ele, e muitas vezes só depois de errar repetidas vezes é que a pessoa se corrige e percebe a importância de buscar um relacionamento aonde D-us possa estar presente, que Ele permita.
    Desta forma entendo que a pessoa reta clamará á D-us por uma união espiritual de acordo com a raiz da sua alma e sendo abençoada encontrará sua alma gêmea e assim ambos precisarão fazer esforços altruístas para construir um lar de acordo com a Torá, com filhos preparados para viverem vidas retas, o que é um grande desafio nesses dias tão cheios de imoralidades. Muito obrigado caro Mestre por essas lições tão iluminadas, Shalom!

    Respeitosamente, Emerson

  3. O Rabino nos explica que é necessário encontrar a nossa alma gêmea e nos assegura que é absolutamente essencial alcançar esta meta.

    Mas o Rabino também nos explica que a busca pode ser dificultada porque permitimos que o ego se interponha, o que alavanca distorções. No pouco que posso entender, isso está a significar que a pessoa que permite que seu ego se interponha, na verdade está buscando a sí mesmo na outra pessoa, quer dizer, está procurando na pessoa para parceira características que agradem ao seu ego, que ratifiquem a sua forma de ser, que reforcem os seus próprios prazeres egocêntricos.

    Então esta pessoa vai buscar ilusões, porque na verdade vai buscar projetar na outra pessoa aspectos de si mesmo e como a outra pessoa não é um mero reflexo do ego de quem procura é certo que o sujeito que pensa ter encontrado esta parceira segundo seu próprio ego, encontrou em verdade suas próprias ilusões projetadas na pessoa e, certamente, irá se decepcionar porque irá descobrir com amargor que a parceira é o que não esperava.

    Assim, para que se encontre a parceira é preciso que possamos nos desvencilhar das projeções de nosso ego porque, caso contrário, vamos estar atraindo e sendo atraídos por pessoas que se afeiçoam às projeções de nossos egos e encontrando a amargura no relacionamento.

  4. Shalom Rabino Avraham, peço permissão para postar breve comentário nessa aula extraordinária.

    Graças à D’us o Rabino Avraham ensina nessa aula que o egocentrismo é algo que não deve ser misturado à dinâmica do relacionamento marido e esposa. A razão disso é que o egocentrismo é um estado de consciência caído, ligado a arvore do conhecimento do bem e do mal, portanto o grande problema dessa mistura é que gradativamente o mal tende a ir prevalecendo, que D’us não permita. Como o casamento é a união espiritual de pessoas com a mesma raiz de alma, portanto é algo que está implicado à completude e a perfeição, sendo bom na acepção mais pura da palavra: algo ligado à fonte, à vida. Deixar de lado a vida egocêntrica, como ensina o Rabino, implica se alinhar com o desejo do Criador, portanto também a conexão com a Torá e as suas orientações.

    Ao contrário, se afastar 1 único passo da Torá significa que a alma se afasta 2 passos do caminho que D’us deseja e, portanto dois passos de sua alma gêmea. Cada aprendizado de Torá aproxima alma gêmea designada por Hashem, seja ao ponto de encontrá-la ou desenvolver conexão real com ela: tudo está nesse mesmo caminho.

    Tudo de Bom.

    Carlos Bengio.

AVISO: COMENTÁRIOS NÃO SERÃO RESPONDIDOS

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s