VOCÊ TEM O MEU PERDÃO

O Talmud (Rosh HaShaná 17a, ver Ráshi lá) ensina que uma das maneiras de melhorarmos as nossas chances para um bom julgamento Divino, e sermos inscritos no “Livro da Vida” em Rósh HaShaná. E a sugestão dos mestres é que a pessoa se torne um Ma’avir Ól Midosóv (“um que deixa passar os pecados dos outros”). Ou seja, aqui se trata da pessoa que sinceramente busca ativar a sua capacidade de ceder e de não ser tão estrita com os outros que não se comportaram ou fizeram as coisas do seu jeito particular – do melhor jeito que poderiam se tivessem sido mais sensíveis – e que assim falharam claramente com ela. Deste modo, o Bêit Din Shel Ma’alah (“O Tribunal Celestial”) também não aplicará escrutínio estrito sobre as averót/pecados da pessoa que assim adoçou o seu coração e por fim perdoou gratuitamente . E podemos então entender que todos estes “excedentes” de dores causados por outras pessoas são simplesmente a pura bondade de Hashem nos dando chances reais, logo antes do Yom HaDin/Dia do Juízo, para que “adocemos” os nossos próprios julgamentos celestiais, quando examinados lá no Alto, através de perdoar os erros comportamentais das pessoas que nos feriram. Aprendam esta lição muito bem.

tzedakah