TSAV

PALAVRAS CHAVES: Corbanót (“oferendas”) no Templo, Tikún (“retificação”) dos pensamentos errados através do corbán de olah (“elevação”), Kavaná (“intenção”) e a possível desqualificação das oferendas, ascensão espiritual pelo tikún da mente, o grande nível espiritual das gerações anteriores, sefirá de Malchút e a Shechiná (“Presença Divina”), o exílio da Shechiná, o grau espiritual de Z’eir Anpin (Z. A.), a união deste de Malchút com Z.A., Malchút e a Knessét Israel (“Comunidade Judaica”), fluxo de bênçãos, Malchút e o aspecto feminino do “recebimento”, a linguagem poética do Zohar e a facilidade de se perder nela, a sefirá de Binah/o mundo vindouro, a coluna da esquerda sefirótica é o aspecto feminino: que recebe luz, binah é compreensão e “foco no futuro”, olám habá (“mundo vindouro”) e binah, alegria através da remoção das dúvidas e da compreensão da Sabedoria Divina, alegria espiritual da Torá e a iluminação, as kavaná (“intenção”) e as elevações espirituais, Zót HaTorá (“Esta é a Lei”) é a união dos aspectos masculino/Torá Escrito e feminino/Torá Oral, o “lado do Norte”/Guevurá, a “porção” para o lado negativo (mayim acharoyim), o despertar de Guevurá, mayin nukvim (“águas femininas”) e mayin nuchrim (“águas masculinas”), ações em baixo geram repostas espirituais em cima, o fogo na forma de leão e a aceitação dos sacrifícios no Templo, processos espirituais, a razão que as pessoas estranham a linguagem espiritual: a falta de conexão e hábito espiritual.

tzedakah