A ILUMINAÇÃO DA CONTAGEM 1

E está escrito: כאשר צוה יהוה את משה ויפקדם במדבר סיני ka’asher tsiva Hashem et-moshe vayifkedem bemidbar sinai, “Como YKVK ordenara a Moshe, contou-os no deserto de Sinai” (Bamidar 1:19). Veja: a guemátria deste verso é 2012, ou 4 x 503, o valor de המחנת ha-machanet (“o acampamento”). E a parashá relata a partir do Bamidbar 2:3 como cada uma das tribos foi colocada no deserto. Eram quatro acampamentos situados em diferentes posições, e cada machaneh consistindo de três tribos. Agora, a guemátria de Vayifkedem bemidbar sinai é 618, a mesma de בריתו beritô (“Seu pacto”). O primeiro Ráshi deste sêfer/livro e parashá diz: “E quando Ele veio a repousar a Shechina sobre eles, então Ele os contou” (Bamidbar 1:1), para assim abençoá-los. E o Zohar comenta que: “Não encontramos outra contagem em Israel pela qual eles receberam brachót dela como nesta contagem” (117b, Bamidbar). O Maguid Mesharim neste passuk/verso traz o mesmo com outras palavras: “Ele os contou para trazer para eles o poder superior da força para dirigir e interagir com eles” (Parashá Bamidbar), se referindo assim a Shechina que vitaliza e guia o povo, pois é Ela a fonte das brachot/bênçãos. E deste modo esta contagem uniu a Shechina com o Bnei Israel no alto e em baixo, querendo dizer, este foi um pacto através do qual, novas bênçãos desceram ao Bnei Israel. E a guemátria 618 (de Vayifkedem bemidbar sinai) mais três do kolel de cada uma das palavras é 621, sendo este valor igual a 3×207, o mesmo da palavra ór (“luz”, alef-vav-rêish) – um cognato da palavra Iyar (o mês quando ocorreu a contagem). O Ari”zal ensina sobre “três vezes ór” que, “Eis uma luz completa… o valor de kéter [620] mais o kolêl” (Sefer HaLikutim, Tazria). De certo a contagem trouxe a iluminação vital da Shechina, pois eles precisavam ser fortificados e guiados para se estabelecerem em acampamentos – nas divisões santas assim como é no Alto, pois como está escrito: “Esta contagem veio intencionalmente para abençoar, mas com a intenção também de aperfeiçoar a completude dos mundos” (ibid. Zohar). E também, sobre o tempo da contagem: “‘No primeiro dia do segundo mês, no segundo ano’ [Bamidbar 1:1]… Este mês [Iyar] é chamado de Ziv [‘brilho’], aludindo ao mês iluminado… quando tudo é um… e de onde emana e irradia o brilho para o mundo” (ibid. Zohar). E mais: ברוך ה’ לעולם אמן ואמן Baruch Hashem leolam amen ve-amen, “Seja para sempre bendito Hashem, amém e amém” (Tehilim 89:53) tem guemátria 618 também. Este verso significa a luz de chochmah. Mas, “O brilho de Iyar é de guevurah e de chochmah no lado de guevurah, indicando a harmonia do lado direito/Nissan e esquerdo/Iyar, ‘quando tudo é um’” (ibid. Zohar).

tzedakah

AVISO: COMENTÁRIOS NÃO SERÃO RESPONDIDOS

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s