PINCHAS

PALAVRAS CHAVES: Seguindo os atributos Divinos, Chéssed (“Bondade”), Guevurá (“Severidade”), blocos fundamentais da realidade, combinação de atributos, inter-inclusão, desequilíbrio sefirótico/psíquico, passagem por testes, ausência de Nêstach, oportunidades para fazer o certo, forças espirituais antagônicas, bondade retificada, a providência Divina e as chances de retificação, tecnologia espiritual, tsimtsúm, manchas na alma, lutas espirituais interiores, as sefirót coordenam a realidade, ressurreição dos mortos, corpos translúcidos, era de Mashiach, um tempo de conexão com D-us.

tzedakah

3 pensamentos sobre “PINCHAS

  1. Shalom Rabino
    É difícil olhar diretamente para o que somos e encarar nossas limitações porque o ego quer ver apenas confirmada a sua plenitude.
    Encarar-se imperfeito, imaturo, deficiente, falho, incompleto, deficiente ou qualquer juízo que me faça encarar minha falência é doloroso porque borra a macula a imagem no espelho.
    Mais difícil ainda é ter humildade para admitir a necessidade de buscar a retificação necessária e desenvolver o que me falta porque o que me falta é sempre aquilo que o Eu não se identifica e, portanto, não gosta.
    Sair da zona de conforta, portanto, é o que urge e o que mais evitamos.
    Do pouco que consigo refletir em minhas limitações, consigo ver uma enorme dificuldade com a guevura. É fácil – e até doce – limitar a leitura de chessed em bondade, mas a bondade degenerada esconde, na verdade, uma imaturidade, uma verdadeira infantilidade de quem não consegue impor limites a si mesmo e ao mundo que o cerca. Um ser que quer ser apenas amado e gratificado e que tem na generosidade um instrumento fácil de aceitação de sua pessoa sem precisar levar a efeoto auto restrições. Um mecanismo que quer comprar nos que cercam a aceitação de sua infantilidade e a condescendência da satisfação de suas exigências sem entrar em conflito jamais, consigo mesmo e com o mundo.
    Então percebo que a bondade degenerada é demasiadamente egocêntrica e covarde porque no fundo busca satisfazer apenas ao seu próprio titular e preservar o comodismo de sua imaturidade .
    Shalom

  2. Graças a D-us por mais esta aula do Rabi Avraham Chachamovits. Peço ao Rabi permissão para expor um breve comentário.

    O episódio em que Pinchás transpassa com uma lança o israelita que mantinha uma relação com uma mulher moabita, apesar de ser um assassinato, e portanto passível de punição, na verdade foi aceito por Hashem, inclusive dando mérito ao ato, pois imediatamente a praga que estava sobre o povo de Israel cessou, salvando assim os israelitas da ira de D-us que ocorrera devido ao profeta profano Bilam armar uma cilada contra os israelitas, falando a Balak para instruir as mulheres moabitas a se relacionarem com os homens de Israel para levá-los a participar da idolatria aos deuses de Moab.

    Então aprendemos com o Mestre que, Pinchás foi levado a esta ação através de seu lado intuitivo (divino), lado direito do cérebro, e não racional (intelectual) lado esquerdo do cérebro. Talvez se ele tivesse agido apenas pelo lado racional ele até não tivesse matado o casal, mas certamente isto traria a morte de muitos israelitas devido a idolatria que estava acontecendo nesse episódio, e que certamente traria a vitória de Moab frente a Israel, o que levaria também a não conquista da terra prometida por Hashem.

    Vemos então a importância da inter-inclusão dos atributos divinos, dentre estes os atributos de Chessed (bondade, benevolência) e Guevurá ( severidade, limite) pois sem essa inter-inclusão (combinação) não alcançamos o equilíbrio, o caminho do meio, da Torá, e portanto da realização da vontade de D-us, assim compreendi em minha limitação.

    O equilíbrio é sim necessário, mas deve ter sempre a inter-inclusão dos atributos divinos dosados de acordo com a Torá (vontade de D-us), pois somente assim poderemos nos retificar bem como ao mundo, para que, se D-us quiser muito em breve, venha a era Messiânica, onde todo mal será expurgado do mundo.

    Muito obrigado Rabi Avraham por mais este ensino tão importante para nosso caminhar para cima e para o alto. Peço perdão por algum equívoco cometido neste humilde comentário.

    Shalom e tudo de bom.
    Respeitosamente,
    Robson Cleber Garcia da Silva

  3. Shalom caro Rabino Avraham e amigos do Beit Arizal,

    Peço a licença para comentar o presente shiur com a ajuda dos Céus:

    O Mestre ensina sobre a fundamental necessidade de haver equilíbrio entre os canais espirituais/sefirót para que a pessoa seja reta em suas ações. Ao ouvir este shiur lembro-me de momentos da minha vida aonde fui muito inclinado a ajudar pessoas sem o cuidado com um restringir maduro. Assim cheguei a conclusão graças á D-us depois de errar muito que me faltava guevurá para impor limites em minhas ações.

    E assim traz o Mestre que a pessoa que tem muito chéssed vai atrair pessoas que tem muita guevurá para ela e pessoas que tem muita guevurá vai atrair que tem muito chéssed, e essa é a maneira da providência Divina dar a oportunidade da pessoa vencer seu desequilíbrio para que ela faça aquilo que ela deve fazer para alimentar o atributo que lhe falta.

    O Mestre também fala da ilusão que existe da aparente independência das criaturas do Criador, isso acontece porque nosso corpo é um grande bloqueio que naturalmente impede a pessoa de perceber a luz de D-us. Por isso entendo que a luta entre os aspectos mais elevados da alma e a néfesh é muito árdua quando a pessoa busca retificação, pois não é fácil subjugar os desejos do corpo principalmente num mundo com tantos estímulos sensoriais que precisam ser evitados ao máximo em nosso dia a dia, que D-us permita.

    O Mestre explica que a pessoa que faz teshuvá sem precisar passar por dificuldades e aflições acaba por fazer melhor do que alguém que precisa passar por essas coisas para retornar á D-us, assim entendo que a pessoa precisa servir á D-us motivado pela alegria, ela precisa ser equânime no seu serviço á D-us, algo que busco alimentar em minhas forças limitadas.

    Por fim o Mestre explica que na era de Mashiach os corpos das pessoas atingirão o status da alma, os homens voarão como águias, algo muito sublime. Para isso entendo que hoje é o tempo de retificar meus pensamentos, fala e ações, subjugando os desejos não retificados do corpo de modo que eu consiga vencer esse grande bloqueio e se ligar á D-us pela fé, que Ele permita. Agradeço á D-us e ao Mestre por mais um grande shiur, tudo de bom!

    Respeitosamente, Emerson

AVISO: COMENTÁRIOS NÃO SERÃO RESPONDIDOS

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s