PÊSSACH MÍSTICO

A festa de Pêssach celebra ao êxodo milagroso do Povo Judeu do cativeiro do Egito. Com a “mão forte”, D-us liberou e formou Seu povo para que este pudesse receber a Torá santa. A riqueza de simbolismo revelado e místico desta festa é incompreensível. Os mestres da Torá trazem explicações milenares de todos os níveis para elucidar o momento dramático, espetacular e inusitado pelo qual o Povo de Israel passou. Nesta aula avançada e baseada na Cabalá do mestre maior, o Ari”zal,, o Rabino Avraham Chachamovits explica com grande profundidade e lucidez aspectos extraordinários do Sêder de Pêssach. Certamente, estas revelações de luz apressam a vinda do único e verdadeiro Mashiach, e que isto seja em breve amém.

PALAVRAS CHAVES: Sêder (“Ordem”) de Pêssach, símbolos na Keará (“a bandeja”), Matsá/Matsót, poder Divino de limitar, estrutura da realidade, tsurah (“forma”) e chomêr (“substância”), limitação provém do homêr, a tsurah de um astro é a sua alma, homêr é a combinação dos elementos que forma este astro, olamót (“mundos espirituais”), considerações profundas sobre a pluraridade deste mundo de Asiyah (“ação”), sefirah/sefirót, Orót (“luzes”) e Kêlim (“recipientes”), midá/midót (“características da personalidade/caráter”), a tendência da midá é se expandir sem limites, a tendência da luz é se difundir sem limites, a criação depende da restrição das luzes espirituais, a natureza das orót e dos Kelim, o que significa retificação?, “cooperação emocional” entre as midót, maturidade e os “sistemas maduros”, a natureza dos mundos espirituais e seus habitantes depende das orót e os kelim, o Nome Divino Shak-dai, a keará do Sêder, tsimtsúm (“restrição da luz”), a missão de missão revelar a luz oculta de D-us, as matzót são os kelim para “receber” as luzes, as luzes precisa mser canalizadas através dos recipientes, nossa mente precisa restringir/retificar nossos desejos.

tzedakah

2 pensamentos sobre “PÊSSACH MÍSTICO

  1. Shalom Rabino Avraham,

    Obrigado por responder meu email, fico muito mais feliz e confiante em seguir em frente nesse tão difícil caminho de aproximação de D-us através da Torá.

    Estudando a aula “Pêssach Místico” sem ter a arrogância de tentar entender os detalhes de um assunto tão complexo como as sefirót, a lição principal que acredito dever interiorizar é o poder de modulação da mente sobre as emoções, como representado fisicamente pelas 3 matzot côncavas embaixo dos 6 elementos da keará. O sechél na representação serve como recipiente para as midót, podendo restringir midót negativas ou emular midót positivas. Tão necessário se faz esse ensinamento pois mostra como Pêssach não se refere apenas à um fato histórico do passado, mas tão importante quanto foi o exôdo é a libertação individual de cada ser humano para que realmente possa viver. Começo a entender melhor o porque do judaísmo valorizar tanto a mente/razão. O intelecto é vital para a sobrevivência espiritual, pois as emoções tendem a se difundir sem limites como luzes, as pessoas simplesmente sentem. Já o séchel é frio por assim dizer.

    Mas como o senhor tantas vezes já disse não podemos ser escravos do intelecto, pois existe hora para racionalizar e hora para sentir e D-us quer o coração. Como ensinado na aula uma pessoa equilibrada trabalha com elementos opostos harmonicamente, o que entendo ser a mente restringindo as emoções negativas que surgem espontaneamente e emulando emoções positivas que precisam de esforço para aparecerem. Isso poderia levar-me a ser excessivamente racional e frio como o senhor já disse que sou, mas o senhor também já disse que o intelecto também precisa ser retificado, pois não é o racional limitado de um matemático que vai trabalhar as emoções mas uma mente superior que trabalha tanto com o lado intuitivo mais espiritual quanto com o lado analítico. E como aprendi com o senhor, isso tudo na prática se dá através de ações retificadas, deixando de fazer o que é errado e fazendo o que é certo, para que os canais espirituais sejam desobstruídos e a bençãos fluam para os orgãos da alma, conforme ensinado na série “Shaarei Kedushá”. E na mesa do seder o equivalente a essas ações práticas seriam a mesa, toalha e a comida toda kasher le pêssach, enfim o mundo físico no qual o homem pode impactar a realidade.

    Espero que o senhor e família tenham saúde e um feliz Pêssach, kasher tenho certeza que estão tendo.

    Gut Moed, Moshe

  2. Shalom Rabino Avraham,

    Estou me preparando para pêssach, procurando realizar o sêder da melhor maneira possível, e para isto as instruções do senhor são fundamentais. Toda a questão envolvida na saída do Egito, com a revelação única na história de D-us para todo um povo, envolve o fato da vida ter um significado e uma direção certa a se percorrer pelo ser humano e judeu em particular. Isto envolve a ordem contrariando o caos que tende a imperar se o homem for deixado por conta própria no mundo. Como o senhor já ensinou a Cabalá lida muito com aspectos psicológicos do ser humano, que refletem por sua vez características universais e gerais, assim o ser humano pode ser considerado um universo em miniatura.

    Colocar ordem no mundo através das leis naturais e condução da história é função do Criador, mas colocar ordem interna no caos de emoções e racionalizações que existem no oceano da mente humana é a tarefa principal do ser humano. E quando o Criador se revela no Egito interferindo diretamente e explicitamente nas regras naturais vigentes no mundo Ele mostra o quão importante é o plano para a criação, e para que o homem e o mundo se encontrem e equilibrem, Ele escolhe um povo e dá-lhe um guia, que só poderia ser obtido por revelação, jamais pelo próprio ser finito e limitado. Então essa luz revelada passa a ser o meio e fim que a humanidade tem de viver a vida. E a propriedade básica desta luz na alma, como revelado nesta aula, é a natural preponderância dos poderes intelectuais sobre os poderes emocionais, e estes sobre o poder de agir.

    Então ficou bem claro o objetivo da saída milagrosa no Egito e o recebimento da Torá no Monte Sinai, o povo judeu passaria a servir de exemplo e povo sacerdotal, através da forma que leva a vida, e desde os menores detalhes cotidianos até as maiores reflexões o agir corretamente, de acordo com o desejo de D-us, é a meta principal. Mas para agir corretamente é necessária iniciar a retificação da mente, das emoções e das ações.

    Entendi que de acordo com a explicação do Arizal, primeiro devemos agir corretamente, faremos e ouviremos, pois a primeira coisa para se fazer um sêder de pêssach é ter uma mesa, com pratos, talheres, toalha, alimentos kasher lepêssach, representando assim a sefirá de malchut. Depois as 3 matsót significam que temos que estudar muito usando a sabedoria e o entendimento de modo a haver um fluxo dinâmico entre ambos, tendo a visão global de tudo ao mesmo tempo que nos inteiramos dos detalhes constituintes. Por fim realizar a ponte para que tenhamos a capacidade tão difícil de modular as emoções e objetivo de todo o mussar do rabino Avraham através das revelações do Arizal. Saber se restringir diante de uma vontade imprópria e se esforçar e criar emoções positivas diante de coisas positivas. E assim como devemos nos lembrar todos os dias da saída do Egito, devemos trabalhar as limitações a todo instante, e o sêder representa a possibilidade de ter sucesso nesta empreitada, pois tudo se iniciou pela iniciativa divina.

    Agradeço ao rabino Avraham por tão raros e preciosos ensinamentos.

    Desejo saúde e felicidades ao senhor e a família.

    Shabat Shalom e Chag Sameach, Moshe

AVISO: COMENTÁRIOS NÃO SERÃO RESPONDIDOS

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s