EMOR

PALAVRAS CHAVES:

Aula 1: Kedusha (“Santidade”), a kedusha maior dos cohanim (“sacerdotes”), as várias proibições para um cohen, obtendo kedusha através da perishá (“separação”) das coisas proibidas, o pshat (“nível literal”) da Torá, o processo espiritual da construção/destruição de mundos antes do nosso, o Mal é a “sobra” deste processo, o Mal é “a escuridão na face do abismo”, Isaías 45:7 “a escuridão/Mal é uma criação”, a luz vindo da escuridão, a luz original da Criação foi ocultada para os justos, a luz/kedusha precisa ser separada do Mal/tumah (“impureza”), as mitsvót/mandamentos servem também entendermos intimamente o conceito de kedusha e tumah, a perishá original/”separação primoridal” foi desequilibrada pelo pecado de Adam e Cháva, devido ao pecado original as forças do bem/luz e do mal/escuridão se fundiram dentro de Adam e Cháva, a formação das duas inclinações no homem: a boa e a ruim, tikún: o ato de realinhar algo em desequilíbrio, restaurando a perishá: a função da Torá, Mashiach (“Messias”) é o tempo em que o tikún finalizado, cumprir as mitsvót difunde luz espiritual nos mundos, revelando as fagulhas Divinas, a Shechiná (“Presença Divina”) é a origem da kedusha, reequilíbrio do mundo e do mundo pessoal, a lógica da Era Messiânica, o “pão de D-us”: a oferenda dos cohanim, a teshuva, o mestre professor da Torá: o cabalista

AULA 2: O alinhamento com D-us através das mitsvót (“mandamentos”), diferenças de graus de consciência/percepção/lucidez, níveis de bitúl (“anulação”), recebendo o “jugo Divino” da Torá e mitsvót, humildade no cumprir do desejo de D-us, a definição do orgulho e arrogância, o bitúl leva à ascensão de consciência, os medos de crescer: a falta de fé, sérios limites de percepção devido à falta das mitsvót, desconexão com o espiritual, Hashem sublinha a tudo, a “escravidão” materialista, a natureza animal do homem, o grave problema da preguiça, a cristalização dos comportamentos e posturas cômodas, o tsimtsúm: a contração da luz Divina, as manifestações independentes na criação ocorrem graças ao tsimtsúm, o enxergar da realidade no aspecto da verdade, a verdade é eterna, a ilusão sensorial, a excessiva identificação com o mundano, insegurança e dúvida: a falta de bitachón (“confiança em D-us”), as “opiniões” dos homens, caos e incoerência, a bondade de se escutar uma pessoa caótica, o fracasso no aperfeiçoamento, o aumento na incoerência devido à reincidência, o Makóm Panúi (“Espaço Vago”), a heresia dos que desdenham a Torá e a mitsvót, a blasfêmia dos “achismos”, a grande heresia da negação de D-us.

tzedakah