ANESTESIA ESPIRITUAL

PALAVRAS CHAVES: Parashá Êkev, não se esqueça de Hashem, este esquecimento vem do aumento das posses pessoais, abundância material e a arrogância, os lembretes do sustento, testes e seus benefícios, clamando a Hashem e reconhecendo Ele como a causa das causas, crescendo em fé (emunah) e confiança (bitachón) em Hashem, a natureza humana preguiçosa e lei do mínimo esforço, esquecimento de Hashem e o aviso contra toda forma de idolatria, o materialismo são os “outros deuses”, domínio da consciência, insensibilidade espiritual, o testemunho de Hashem, nações pagãs destruídas por Hashem como os filhos de Anák, o “fogo consumidor” que é Hashem, a prestação de contas, bênçãos de Hashem para vitória contra a má inclinação do homem, anestesia espiritual.

tzedakah

6 pensamentos sobre “ANESTESIA ESPIRITUAL

  1. Shalom!
    Boa Noite Mestre

    Impossível não ser tocado de maneira profunda, por esse lindo Nigun que inicia o Shiur “Anestesia Espiritual”, em cada dedilhado um palpitar mais forte do coração que me leva a meditar ainda mais nas grandezas e no poder de Hashem.

    Essa maravilhosa aula nos leva a refletir a cerca do modo tolo em que ao longo de tantos anos vivemos, dando importância a coisas banais e materiais sem se importar com o Verdadeiro conhecimento espiritual.

    Vivemos em um mundo onde todos estão submersos em suas preocupações rotineiras e medíocres que passam suas vidas focadas em adquirir para si coisas materiais e superficiais.

    ” A minha força e o poder da minha mão é que acumulam riquezas”.

    Essa profunda frase do Mestre faz me refletir no quão arrogante pode ser uma pessoa ao pensar dessa maneira, ao sentir – se o Sr de sua vida. Basta sair às ruas para ouvir o modo que as pessoas falam e agem, não há se quer o mínimo de Temor a D-us e tudo isso traz a lembrança o tempo que desperdiçavamos nos preocupando com assuntos mundanos, materialistas completamente imersos nesse mundo secular onde o grande foco são os prazeres pessoais.

    Percebo minimamente através dos ensinamentos do Mestre o quanto necessitamos de conhecimento espiritual, e a medida que vamos aprendendo grande é o meu desejo de retificar minhas falhas, corrigir meus erros e andar de acordo com as Leis de D-us.

    “A nossa batalha mais difícil é conta o inimigo que mora dentro de nós mesmos”.

    Como é difícil para nós Noeticos nesse País onde somos constantemente bombardeados por informações negativas seja direta ou indiretamente nos mantermos firmes as Leis de D-us, é uma batalha diária que travamos dentro e fora de nós, para desviar nossos pensamentos daquilo que não é positivo, para policiar as nossas falas das palavras impuras, para corrigir nossas posturas que ao logo de todos esses anos foram erroneamente moldadas.

    Em meu limitado entendimento estudar todos esses assuntos com o Mestre é algo como um resgate, sinto me saindo de um poço onde só havia a escuridão, escuridão das idéias e sentimentos.

    Agradeço a D-us mais uma vez por ter direcionado me ao Mestre que tem sido o meu pai, nos conselhos, nos ensinamentos e principalmente me direcionando a como fazer as vontades de D-us

    Obrigada Mestre
    Tudo de bom.
    Respeitosamente,

    Wiviane Morgado

  2. Shalom Rabino Avraham, peço permissão do senhor para escrever algumas linhas sobre esta aula estimulante.

    “um texto fundamental pra qualquer um que acha que tem alguma medida de fé”
    Compreendo que esta aula certamente causa dor em muita gente, assim como doeu muito em mim, e hoje Graças a D-us, com as revelações trazidas neste portal de estudos de Torá, tento identificar mesmo que em alguns aspectos pessoas em meio a sociedade moderna com os traços de caráter apontados pelo Mestre.

    Graças a D-us o Mestre nos ensina sobre assuntos de obediência, amor e temor ao Criador, Bendito seja. E que assim sendo não precisamos acumular bens e riquezas, pois ao emular o Criador que nos circunvolve devemos nos esvaziar, e fazer circular estes bens que nos são proporcionados. Penso que assim fazemos por acreditar que Ele não nos deixa faltar e nada nos faltará se D-us quiser. Então tudo que temos é dividido, algo que demorei muito a entender, tendo muitas vezes contrariado minha senhora, por ter praticado caridade além do que havíamos combinado. Mas não demorou muito tempo para perceber que é algo muito abençoado praticar caridade, além de sermos protegidos de doenças, da morte e de infortúnios, nada nos falta Graças a D-us. Entendo que quando estamos em falta, e questionamos: ahh tá difícil… ahhh estou com problemas …. e tudo tem um problema… ou hoje não dá pois estou com bloqueios… etc…, então logo imagino e tento detectar algo que esteja sendo negligenciado, mesmo isto sendo extremamente difícil para mim, devido o problema que temos na auto avaliação.

    Obrigado Rabino Avraham por mais esta aula que nos traz momentos recentes em nossas vidas, reforçando sempre a lembrança de que apesar de tudo, Hashem é quem nos dá existência.

    Edson Bertoldo

  3. Shalom caro Rabino Avraham e amigos do Beit Arizal

    Peço a licença do Rabino Avraham e dos amigos para comentar brevemente sobre o presente shiur:

    Entendo que a relação do homem com a materialidade só pode ser verdadeiramente retificada se ele observar a Torá fielmente, pois o homem precisa lidar com a materialidade, mas não pode se subjugar á ela. Entendo que as bênçãos materiais precisam ser recebidas não só com alegria, mas com temor á D-us e agradecimentos sinceros á Ele para que os pensamentos e emoções não alimentem a sitra áchra iludindo a pessoa que pode facilmente esquecer-se de D-us (A Origem de todas as bênçãos) quando suas posses aumentam.

    Sem dúvida, uma maneira de prevenir que o lado negativo me deixe cativo do materialismo é o emular da bondade divina através da tsedakáh e atos generosos que tenho a oportunidade de fazer pela providência Divina, me levando a subjugar o ego em algum nível e crescer na confiança em D-us sendo feliz com o que tenho, ainda que minhas posses materiais sejam pequenas. Agradeço o Rabino Avraham pelas lições preciosas deste shiur, Shalom.

    Respeitosamente, Emerson

  4. Shalom

    O Rabino já inicia a parasha com esse alerta. Eu entendo que não podemos nos esquecer de D-us em momento algum de nossas vidas, absolutamente tudo que conquistei e irei conquistar é somente graças a D-US, que me dotou com saúde, sabedoria, inteligência para eu ser um canal apropriado para receber as bênçãos pelo meu trabalho.
    Gostei do exemplo do rabino sobre a prata (Chessed) e ouro ( Guevura), a pessoa com a prata começa a crescer, mas ainda se mantém ligado a D-us mas quando a pessoa recebe o outro ela perde sua conexão com Hashem e fica arrogante, pois ela acha que tudo conquistou foi graças a apenas a ela.
    Os testes dos Céus servem para nos tirar da zona de conforto, pois a natureza humana é muito preguiçosa, então conforme crescemos seremos testados até alcançarmos um nível de consciência superior e novos testes virão.
    O homem é amplamente seduzido pela matéria e sofre até para dar tsedaca, ele não emula ao Criador, não cuida da espiritualidade, e etc., ela só pensa em ter, ter e ter algo mais em sua vida.
    O termômetro que devemos ter é se a pessoa se conecta mais a materialidade do que a D-US, ela precisa mudar imediatamente para não se rebaixar ainda mais.
    O Mestre afirma que a função da iester Hara é fazer nos desconectar de D-us e da espiritualidade. A única maneira de controlar a Iester Hara é o estudo de Torá e o cumprimento dos mandamentos.
    Que D-us permita eu aplicar esses ensinamentos em minha vida.
    Tudo de bom.
    Thiago

  5. Shalom Rabino Avraham. Peço permissão para publicar um humilde comentário sobre esta aula tão importante do Sr.

    Neste Shiur, aprendi que, somente estando conectados a D-us, podemos evitar de esquecê-Lo. Quando agimos sem levar em consideração os preceitos de D-us, nos distanciamos Dele; e assim, pode ocorrer de deixarmos de observar que tudo provém Dele: nossa vida, nosso sustento, nosso teto, nossa saúde, nosso entendimento, nossa sabedoria, enfim, tudo provém Dele e é graças a Ele.

    Quando um homem se esquece de D-us ele passa a confiar em si, em seu coração, e pensa arrogantemente, que tudo que ele é e tem, é devido a seus esforços e capacidade, e assim, ele vai apenas satisfazer seus próprios desejos que, cada vez mais se tornam insaciáveis, e assim se torna um idólatra de suas conquistas e de si mesmo, seguindo após outros deuses, que tanto o mundo propaga: “Se você quer você pode”. “O mais importante em sua vida é você mesmo”. “A verdade absoluta não existe, tudo é relativo”… Etc, etc.

    O resultado disso, é um homem anestesiado espiritualmente, distante de D-us, do próximo e de sua própria essência. Uma vida sem sentido que está sempre buscando algo que não sabe o que é, pois é guiado apenas pelo seu estômago e valoriza apenas o que é efêmero, infelizmente.

    Agradeço ao Sr., Rabino Avraham, por toda dedicação e bondade em nos guiar para os caminhos de Torá com mais este precioso ensinamento.

    Tudo de bom para o Sr. e família sempre!

    Respeitosamente,

    Robson Cleber Garcia da Silva

AVISO: COMENTÁRIOS NÃO SERÃO RESPONDIDOS

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s